Debian 11 Bullseye – BETA – Overview

O Debian 11 (atual testing) entrou em fase de congelamento para o lançamento da próxima versão stable.

Baixei a iso nonfree (para maior conveniência de alguns usuários) pois a iso oficial contém apenas software livre, ou seja, terá mais chances de faltar algum firmware pare seu bluetooth, wifi, placa de video, joystick, headset, microfone….

Através do link abaixo, no caso o RC1, iso de 15/04/21.

https://cdimage.debian.org/images/unofficial/non-free/images-including-firmware/bullseye_di_rc1+nonfree/amd64/iso-cd/

Ao dar boot:

Vai direto para o instalador clássico / antigo. Que funciona, não é tão complicado, mas poderia ter menos passos:

Não contei o tempo, pois quando achei que o instalador iria finalizar, parava o processo para me perguntar mais coisas. Não tem um fluxo: prepara > instala > finaliza. É mais como prepara > instala > prepara > instala….finaliza.

Escolhi a opção pré marcada “ambiente de área de trabalho no Debian” “GNOME”:

Realmente gostaria que o Debian tivesse o instalador Clamares como “oficial” ou “principal”.

Fiquei 1 hora na função, mas se parar na frente do PC olhando a barrinha carregar atento a novos passos a seguir, creio que em 30min termina a instalação.

Ao reiniciar, temos o GNOME com sessão Wayland padrão:

Tela inicial não tem tela de bem vindo ou Tour do GNOME:

App’s padrão

Minha esperança é que os mantenedores do Debian entregassem um sistema mais enxuto apenas com app’s básicos pré instalados, ainda mais que existe um sistema que envia informações de app’s mais usados na distribuição.

Então, ou os usuários do Debian realmente usam todos estes app’s, ou o sistema de pacotes mais usados está dando resultados errados/antigos?

Coisas que acho que não deveriam vir por padrão: jogos do GNOME (ok poderia deixar o clássico paciência ou xadrez?), transmission, 2 players de Music ou Rhytmbox, Extensions, gravador de som, gerenciador synaptic (este creio que ainda pode ser muito usado). De resto está mais “OK”.

Ainda que realmente a distro necessite mandar tantos programas por padrão, pelo menos na versão GNOME, poderiam enviar de forma mais organizada, criando alguns grupos da mesma categoria?

Após organizar rapidamente:

O GNOME é o 3.38.4, a última e melhor versão da série “3” do ambiente.

Por algum motivo, esta iso veio sem o contrib “non-free” na /etc/apt/sources.list por padrão, então editei para pesquisar sobre a versão do driver-nvidia (fica a dica para caso precisar de outras coisas como firmwares wi-fi, bluetooth…).

obs: sim, a sessão Wayland abre app’s como root.

No repo se encontra driver legacy 390 e mais o recente 460. Além de outros drivers para Nvidia tesla, o abandonado bumblebee, bbswitch, primus (nvidia offload) e outras coisas para Nvidia híbrida.

O mesa na versão 20.3, o que já não é a mais recente e irá ter com incompatibilidade com alguns jogos AAA via Proton/Wine.

Infelizmente o Debian não oferece o Flatpak por padrão, mas está nos seus repositórios (atual 1.10.2)

Fácilmente instalável via Synaptic ou terminal, assim como o plugin para GNOME Software reconhecer Flatpak’s (gnome-software-plugin-flatpak):

Ao abrir a GNOME Software terá uma mensagem avisando para reiniciar a mesma:

Agora basta ir ao flathub.org e clicar em “install” em algum app:

A partir daí, já aparecerá o seletor de fonte com os app’s do Flathub na GNOME Software (caso não, encerre a sessão e faça login novamente que a GNOME Software irá atualizar o banco de dados):

Pipewire

Segundo a wiki do Debian, nesta versão suportará Pipewire na versão 0.3.19 por padrão. Podendo experimentar a substituição do Alsa / PulseAudio / Jack.

Porém, no momento tenho mais interesse de habilita o Pipewire apenas para usufruir do screencast usado pelo Firefox, Chromium (e navegadores baseados) OBS Studio 27+…

Então dei permissões para o Firefox via Flathub (pois o Firefox ESR não funcionou) usar Pipewire e Wayland, seguindo este tutorial.

Reiniciei o Firefox e screencast funcionando!

Assim como OBS Studio 27:

Concluindo

O instalador cumpre o seu trabalho, mas creio que precisa ser renovado / repensado, acho o mesmo do instalador do Fedora, mas acho melhor do que o do Debian.

Porem se o usuário encontrar a iso com instalador Calamares, creio que deverá ter uma melhor experiência.

Poderia ter uma melhor seleção e organização de app’s, mas já está melhor que antes.

Existe uma GUI dedicada a configurar mirror’s, sources entre outras coisas (software e updates) porém não foi capaz de habilitar o repo nonfree (que é em muitas vezes necessário e muito usado). Uma situação parecida com o Fedora que não habilita o Flathub? porém um pouco mais complexa.

Creio que poderia apenas usar a GNOME Software para gerenciar repositórios como o Fedora e evitar um app e melhorar a experiência de uso?

O Flatpak + plugin para GNOME Software por padrão não faria mal!

A boa surpresa foi o Pipewire/Wayland funcionando por padrão (na versão 10 suporta uma versão muito antiga) pelo menos para o screencast. Assim possibilitando uma melhor experiência com serviços de video conferências que atualmente são muito usados.

Se deseja me dar sugestões, mande para fastos2016@gmail.com ou nas redes sociais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: