Pós Instalação no Fedora Silverblue

O Fedora Silverblue é um sistema com o “core imutável” com foco em aplicações tipo contêiner (flatpak’s). Ela é uma variante do Fedora Workstation tradicional.

Ultimo update deste artigo: 28/07/2022

Este artigo é destinado para quem já é iniciado no desktop Linux ou já teve alguma experiência de instalação de sistemas.

Atenção: este sistema é considerado “emergente” (porém estável) e não tem toda compatibilidade que a versão Workstation possui como: alguns drivers de impressoras e módulos de terceiros ou .rpm’s que tentam acessar indiscriminadamente partes imutáveis do sistema. Veja este artigo para saber mais detalhes do sistema.

Os artigos deste tipo geralmente ensinam apenas a encher teu sistema de app’s, repositórios e a bagunçar tudo causando instabilidades e outros problemas, não é este meu intuito aqui, vou recomendar “boas práticas” para que possa usar seu computador de forma mais tranquila e sem se preocupar se depois de um update o sistema vai ligar novamente!

Uma das primeiras coisas se aprender (sim aprender, não “instalar”) no Silverblue, é entender o básico do rpm-ostree.

Vai ser uma ferramenta importante para gerenciar o sistema, é uma ferramenta via CLI / terminal, porém é totalmente usável para um usuário médio (rpm-ostree é feito pensando em empoderar VOCÊ também) é mais seguro usar rpm-ostree do que apt ou dnf que foram feitos para sysadmins/devs…

Também não é preciso decorar milhões de códigos e combinações, mas: atualizar, instalar e remover é o “arroz com feijão”.

Para isso, veja este artigo.

obs: atualmente existe um bug conhecido do projeto, que é basicamente a duplicação de entradas no grub, não se preocupe, elas funcionam, porém podem ficar apenas duplicadas podendo diferenciar pela numeração/data. Na imagem abaixo, a primeira entrada final :0 é igual a terceira entrada de final :0.

Flatpak’s e Flathub

Flatpak’s são o tipo de pacote que se deve ter como prioridade, recomendo usar sempre como primeira opção pois irá usufruir do sandbox, na prática significa que não irá bagunçar teu sistema, problemas de um Flatpak só irão afetar o app em si, não quebrarão seu sistema.

Para termos acesso aos mais de 1700+ app’s via Flathub em nossa GNOME Software:

Conheça o Flathub

Acessamos o site e clicamos no logo do Fedora:

2019-03-03_22-32

Em seguida, clicamos no botão “Flathub repository file”:

2019-03-03_22-32_1

OK para abrir com a GNOME Software:

2019-03-03_22-33

E instalar repositório Flathub:

2019-03-03_22-34
2019-03-03_22-35.png
concluído

Em “Repositórios de programas” pode verificar se foi adicionado o Flathub:

Atualize o GNOME Software em “Atualizações/Botão de atualizar”

Ou reinicie a sessão do GNOME que também irá atualizar:

Procedimento via terminal:

flatpak remote-add --if-not-exists flathub https://flathub.org/repo/flathub.flatpakrepo

E para verificar os repositórios flatpak adicionados:

flatpak remotes

Retornará o “flathub” e já poderá instalar flatpak’s do flathub.

Opcional: Flathub beta:

flatpak remote-add flathub-beta https://flathub.org/beta-repo/flathub-beta.flatpakrepo

No Flathub-beta você terá acesso a programas como Lutris.

Recomendo usar todos navegadores via Flatpak pois via rpm não irão se atualizar automaticamente, terá que reinstalá-los manualmente para atualizar.

Dica: Se quiser usar apenas o Firefox diretamente da Mozilla, poderá remover o Firefox do Fedora com:

rpm-ostree override remove firefox

Então depois de reiniciar basta instalar o Firefox via Flatpak do repo Flathub (que contém codec’s)

Agora é só “ir as compras!”

Os primeiros app’s a baixar podem demorar mais, pois terá que baixar runtimes básicas para o bom funcionamento e integração dos aplicativos (isto é feito automaticamente ao instalar flatpak’s).

Neste artigo fiz alguns comparativos de uso de disco com Flatpak’s.

Depois que baixar 1 app GNOME e 1 app KDE, os próximos instalarão mais rapidamente, dependendo da conexão.

Você pode verificar/pesquisar/instalar os programas mais populares pelo site e terminal também se preferir.

Alguns aplicativos populares que você vai encontrar no Flathub: Firefox, Chrome, Spotify, Telegram, Steam, Gimp, Kdenlive, Inkscape, VLC, Discord…

Como usuários do SB fazem muito uso de Flatpak’s, recomendo fortemente o Flatseal, para gerenciar permissões que talvez precise conceder a algum flatpak ou necessidade.

Todos Flatpak’s do Flathub já vem com codec’s!

RPMFusion

(opcional)

O RPMFusion ainda vai ser preciso principalmente caso use Nvidia.

Veja este artigo sobre instalação do driver e minha experiência com Nvidia no Silverblue.

Para fazer um upgrade de versão futuramente, talvez tenha que remover o RPMFusion e os pacotes instalados por ele para prosseguir com o procedimento, como mostro aqui (se trata de 1 comando: rpm-ostree reset).

Agora para adicionar os repositórios RPMFusion, abra o terminal e cole o comando recomendado no site:

rpm-ostree install https://download1.rpmfusion.org/free/fedora/rpmfusion-free-release-$(rpm -E %fedora).noarch.rpm https://download1.rpmfusion.org/nonfree/fedora/rpmfusion-nonfree-release-$(rpm -E %fedora).noarch.rpm
quando processo terminar
Neste momento pode reiniciar o sistema

Após reiniciar podemos instalar quase todos pacotes do RPMFusion.

obs: rpm-ostree é construído sobre o ostree e possibilita a instalação do rpm’s como uma “camada” no topo de uma imagem do ostree. Na prática, isso significa que você pode instalar rpm’s como de costume, mas não “modificará” o sistema base/core. Usará o rpm-ostree install em vez do dnf install.

Para mais comando do rpm-ostree veja este artigo.

Perceba que sempre será exigido o reboot do sistema após o uso do rpm-ostree e veja que no grub irá ser criado uma nova entrada, a mais recente é sempre a do topo.

PLUS

Ferramenta para descompactar .rar:

Peazip

E um utilitário via CLI para sensores:

LM_SENSORS para instalar:

rpm-ostree install lm_sensors

Após reiniciar, poderá usá-los via CLI/Terminal:

sudo sensors-detect

e confirme todos com “y”

Após poderá consultar com:

watch sensors

ou

sensors

elementary OS

O eOS oferece apenas Flatpak’s em sua loja, o que permite ser usado em outros sistemas. Mas tenha em mente que alguns pacotes foram feitos para se integrar ao eOS, assim como algum GNOME app’s foram feitos para se integrar ao GNOME…

flatpak remote-add --if-not-exists --system AppCenter https://flatpak.elementary.io/repo.flatpakrepo

KDE

O KDE mantém um repositório próprio de flatpak’s, muito do que tem nele você encontrará no Flathub, então este fica como opcional, se você gosta do projeto e queira testar algo que não esteja no Flathub, como alternativa ou goste de acompanhar/contribuir com as ultimas versões de desenvolvimento.

flatpak remote-add --if-not-exists kdeapps --from https://distribute.kde.org/kdeapps.flatpakrepo

GNOME

Nightly GNOME Apps, aqui você vai encontrar muitos app’s em desenvolvimento, repositório opcional como alternativa ou caso queira contribuir e goste de acompanhar as ultimas versões de desenvolvimento.

flatpak remote-add --if-not-exists gnome-nightly https://nightly.gnome.org/gnome-nightly.flatpakrepo

Appimage

Você pode usar (ou tentar) appimage’s no Fedora Silverblue, como mostro neste artigo.

Você encontra em sites de app’s que suportam ou através dos links:

https://www.appimagehub.com/

https://appimage.github.io/apps/

WINE

Você pode usar o Wine através do Steam (Proton = fork do Wine) Lutris (está em no Flathub-beta mas é capaz de instalar muitos jogos) Bottles, Winepak (abandonado) e Phoenicis PlayOnLinux como mostro neste artigo.

Se deseja me dar sugestões, mande para fastos2016@gmail.com ou nas redes sociais.

5 comentários em “Pós Instalação no Fedora Silverblue

Adicione o seu

  1. Ótimo artigo.

    Essa distro promete muito em segurança e DevTest Sandbox.

    Vou testar tudo o que postou aqui.

    Grande abraço.

    Curtir

  2. Estou tendo dificuldades para criar um ambiente de desenvolvimento de software no silverblue. Estou tentando evitar ao maximo instalar via rpm-ostree. Comecei criando uma toolbox e instalando a linguagem golang via o asdf-vm (o interessante eh que mesmo fora da toolbox o comando go version foi reconhecido). Instalei duas IDE’s via flatpak (vscode e Intellij) e o problema comeca quando o vscode em seu terminal nao reconhece o comando “go version”.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: