Porque Linux não é muito usado no desktop?

Se pesquisar por “Linux” em praticamente qualquer lugar, verá facilmente janelas com fundo preto do terminal e isso são divulgados geralmente por usuários!

Para começar mostrando que VOCÊ tem uma parcela de culpa também! (não precisa levar este post tão a sério rsrs)

Meu objetivo é mais refletir sobre o assunto que as vezes volta a tona, alguém comenta e especula sobre. Não sou ninguém para ditar regras para ninguém, mas tenho minhas opiniões.

Talvez todo blog de Linux ou de tecnologia já especulou sobre isso, bom, vou fazer o mesmo. Mas tentar ser mais sincero e de uma perspectiva de quem usa apenas Linux no desktop pessoal.

Só para esclarecer antes “Linux e Linux Desktop” são termos que vou usar para se referir a distribuições Linux, DE’s e todas comunidades que o cercam.

Mais marketing, mais hardware com Linux pré instalado, mais influencers divulgando, notícias, grandes jogos AAA e app’s famosos, facilidades ootb etc..

Tudo isso já está meio óbvio que seriam os passos para aumentar a popularidade do desktop Linux, porém não são realidades!

Bom, pra ser justo existe sim jogos AAA rodando, hardwares sendo vendidos..mas não são expressivos no ponto de vista de aumento da popularidade do Desktop Linux.

Projetos e empresas relacionados ao Linux não tem ou não podem usar seus recursos para campanhas publicitárias. Muitas vezes elas apenas não têm a grana ou pessoal para isso. Mas pensando bem, creio que ainda exista mais impedimentos, podem existir outros problemas ou conflitos internos nos projetos que impedem ações do tipo.

A resposta para pergunta é basicamente isso.

Então o que podemos melhorar?

Como tudo na vida pode ser aprimorado, o “Linux Desktop” ainda pode melhorar muito a experiência para o usuário final.

Ainda existem coisas que as comunidades e desenvolvedores de app’s para o Linux podem fazer, pelo menos, “salvar” aqueles que se aventuram no Linux.

Antes de querer “conquistar” aqueles que parecem estar muito distante (e ao mesmo tempo perto) por conta dos problemas descritos acima (falo dos usuários comuns que são a grande parte no planeta) poderíamos pelo menos conquistar aqueles que se aventuram, aqueles curiosos que chegam até instalar uma distro ou as vezes porque alguém instalou para eles.

Estes curiosos e não tão “leigos” assim (creio que alguém que consiga instalar uma distro não seja tão leigo assim) que geralmente, ou fazem duallboot, ou apenas voltam para o Windows. Poderiam ser “melhor tratados”.

Para isso vamos analisar alguns pontos que não vai exigir campanhas publicitárias nem grandes recursos a mais, ou seja, problemas mais “possíveis” de serem resolvidos (ou não).

Padronização na distribuição de app’s!

“Padronização” uma palavra que pode gerar calafrios para quem já conhece as comunidades Linux. Mas convenhamos, pelo menos exige menos recursos do que campanhas publicitárias!

Fora que, se pensar bem, a padronização não é algo inexistente na maioria das distros Linux. Podemos dizer que todos usam kernel Linux (com pequenas modificações ou não) todos usam mesa driver, Xorg (ainda em migração para Wayland de modo geral) DE’s (com ou sem modificações) init systemd (ok, poucos não usam) entre muitos outros aspectos do OS.

Então calma! Não precisa surtar por alguma padronização a mais!

Vamos a um ponto que desenvolvedores podem melhorar e assim trazer mais facilidade + segurança aos usuários. Falo de algo que não parece estar tão distante como marketing e vendas de hardware.

Spotify

Para ser justo, parece que é algo apoiado por engenheiros no seu tempo livre, não é algo como Windows e Mac como descrito. Mesmo assim parece que só existe CLI e Ubuntu/Debian para “Linux”.

Google Chrome

Não sou louco de dizer que o ideal seria suportar vários pacotes para várias distros. Pois tecnologia para isto já existe! Flatpak / Snap / Appimage. Sabe Google?

VLC

Digo o mesmo para o VLC. Apesar de existir um Flatpak e ajuda do upstream para o mesmo no Flathub, não é listado aí.

Dropbox

Novamente, pacotes .deb/.rpm e procedimentos via CLI. O usuário que se vire com problemas de dependências depois..

Kdenlive

O Kdenlive tenta ser “democrático” mas ainda não chegou lá. Mas uma coisa que desconfio, é que app’s distribuidos modo “standalone” tipo Appimage, talvez tenham lugar para alguns casos.

LibreOffice

Se é para ser “democrático” que aprenda com o LibreOffice! kkk

GIMP

É o que chega mais próximo de uma experiência não traumatizante ao usuário final, tendo 1 opção não tem erro. Mas “GIMP for Unix-like systems” wtf (é o que imagino que um usuário novato diria!)

Photoshop Express

É disso que estou falando! redirecionar para uma loja e um download mais seguro e definindo para qual plataforma!

Slack

Slack com rpm / deb e o botão da Snap Store. Quase chegou lá, mas seria uma boa ideia apoiar Snap Store para “Linux” lembrando que OpenSUSE, Mint, ArchLinux, distros nonsystemd, Silverblue, EndlessOS, ClearLinux e provavelmente mais algumas por aí não suportam oficialmente e algumas nem extra oficialmente?

GNOME Boxes

E praticamente todos GNOME App’s suportam Flatpak / Flathub assim como todas distribuições.

Kooha

Mesmo estando em sua página do github, que não é o ideal para divulgar um app para usuários, não foi por isso que não deixou de simplificar a coisa!

Claro, que para isso tudo funcionar no Linux teríamos que ter, no mínimo, mais bom senso das distros e dev’s (isso as vezes parece mais difícil que financiar campanhas publicitárias rsrs). Por exemplo o Ubuntu com aquela coisa que chamam de “Snap Store”, desenvolvedores não achando que todo usuário Linux sabe usar o terminal como administrador, ao mesmo tempo não ignorar as ferramentas gráficas para instalação de app’s.

Tutoriais na internet

Este é outro ponto que poderíamos melhorar, como existe muitas DE’s / GUI’s no desktop Linux, os sites/blogs escolhem o caminho mais fácil para eles “tutorial via CLI”. Não que não possa mostrar o modo via CLI, mas não deixe como exclusividade nem como principal, se existe GUI para fazer algo, recomende ela primeiro, depois via terminal. Mas qual GUI mostrar? eu diria a que se parecer mais com a original feita pelos desenvolvedores.

Pode achar que a melhor GUI a se mostrar é a mais popular, mas nem sempre a mais popular é a melhor escolha. E isso é algo que um iniciante que se aventura no Desktop Linux já está aprendendo, a final, ele instalou Linux por algum motivo e com certeza não foi pela popularidade, certo?


Conclusão

Não acho que em outras plataformas isso é um “mar de rosas” também existe exemplos ruins para Windows/Mac, mas convenhamos, é muito menos frequente do que no Linux.

Meus pensamentos são estes. Incentivar app’s via lojas (embora alguns casos app’s estilo “standalone” podem ser válidos) distros suportarem estas lojas por padrão, desenvolvedores não tratando usuários como outros desenvolvedores, um bom senso no geral para facilitar e simplificar a distribuição de app’s seria, no mínimo, bom para os novos usuários e também para quem já usa alguma distro Linux!

Se deseja me dar sugestões, mande para fastos2016@gmail.com ou nas redes sociais.

Um comentário em “Porque Linux não é muito usado no desktop?

Adicione o seu

  1. Também concordo contigo. Eu já algum tempo (talvez pouco mais de 1 ano) instalo aplicativos mais pela interface gráfica do que via comandos no Fedora Workstation, que aliás, para mim esta sendo a melhor distro com app mais atuais e tudo podendo ser instalado via loja de aplicativos. Mais prático e acessível para um usuário leigo.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: